Agosto/24

De lá pra cá

Me chamo Luís Augusto e, junto com Diógenes, temos organizado a história da Casa Transitória de Maria Luiza.

Antes de nos alvoroçar traçar linhas sobre a casa transitória ou mergulhar na biografia de Maria Luiza, gostaria de oferecer aos leitores a oportunidade de algum contato com a força criadora e cocriadora que faz tudo acontecer, inclusive casas transitórias e colônias.

O objetivo não é reforçar as lições de Emmanuel, André Luiz e Joanna de Angelis sobre o pensamento e sua força criadora, em obras maravilhosas como, por exemplo, “Momentos de Saúde e de Consciência”, “Pensamento e Vida”, “Roteiro” e “Mecanismos da Mediunidade”.

A ideia é assegurar como nós, aprendizes deste mundo em progresso, somos capazes de cocriar e como fazemos isso com mais frequência do que parece.

Isso porque vemos comumente os irmãos que se demoram nas trilhas da evolução terem um entendimento adverso sobre o assunto. Somos cocriadores. Isso é real! E somos o tempo todo.

Uma pessoa que se dedica à vivência do culto do Evangelho no lar poderá ser cocriador de uma ação confortadora junto a um doente. Alguém que se ocupa em arrecadar e montar cestas básicas para salvar quem tem fome, poderá impedir uma traição. Uma mente organizada na fé e na esperança, poderá impedir um homicídio.

Uma pessoa que se dedica a assistir filmes com obscenidades poderá ser cocriador de violências, como estupro e assédio infantil. Alguém que se ocupa em imaginar desgraças e caos, vendo sempre o lado negativo das pessoas e situações, poderá ser cocriadora de obsessões e insanidades. Uma mente aflita e em desespero por uma questão passageira de perturbação afetiva, crise financeira ou porque não teve satisfação em suas vontades, poderá ser cocriador de suicídio e atrocidades morais.

Percebe o poder da cocriação?

Nosso pensamento é princípio elementar que flui de modo incessante no campo cósmico. Tais energias intensas produzem eletricidade e magnetismo. Essa matéria mental, verdadeiro fluxo energético do campo espiritual de cada um de nós, se gradua nos mais diversos tipos de ondas. Desde os raios super-ultracurtos, onde se exprimem as legiões angélicas, passando pelas oscilações curtas, médias e longas em que se exterioriza a mente dos aprendizes que somos, até as ondas fragmentárias dos animais, cuja vida psíquica, ainda em germe, somente arroja de si determinados pensamentos ou raios descontínuos.

Estamos interligados por esse fluxo de energia. Cem por cento interligados, criando causas e efeitos, potencializando ou minimizando.

Funciona com tudo! Com o belo e o positivo. O divino e o excelso. Mas, igualmente, com o nulo e o prejuízo. Com a malícia e a intenção infeliz.

Disso se deduz que estar encarnado na oportunidade atual, é decisão por educar os pensamentos, que favoreçam escolhas prudentes e conquistas da meta definida e vivida por Jesus: amar ao próximo e a si mesmo.

O demais, todo ele, são meios de se atingir esse objetivo.

O grupo de irmãos de Maria Luiza, espíritos aperfeiçoados, que conhecem as potências angélicas do amor de nosso Pai, operam no micro e no macrocosmo, sempre em nome das leis sábias e eternas, cocriaram as condições adequadas e poliformes à expansão, sustentação e projeção da vida na casa transitória onde estamos afetos.  

E, disso, escreveremos no próximo número deste periódico.

Espírito Luís Augusto

Mensagem de irmã Scheilla

Nossa vida

Que o suceder de nossa vida não seja apenas um aglomerado, um passar de dias ociosos, futuros, vazios de significado.

Que cada hora de nossa vida seja o agradecimento da oportunidade que nos está sendo dada.

Não importa a situação que ocupemos nesta vida na Terra: o grande executivo, o simples operário, a criatura humilde que passa despercebida de todos.

Temos o nosso papel de importância máxima no desenrolar da vida.

Não usemos a palavra como punhal para ferir, retalhar e destruir corações, causando mágoas, ódios e ressentimentos.

Que a nossa palavra seja o bálsamo para aliviar a opressão, a tristeza, a escuridão que tantas vezes oprime os corações.

Ah, quisera eu que entendessem, agora, o quanto, na simplicidade da vida, no seu dia a dia, poderão ser úteis, com sua diligência, seu amor, seu gesto de atenção, sua serenidade na hora certa.

Que tal oportunidade não se perca antes tantas ilusões, tantas distrações do caminho!

Que não sejam cegos da alma, caminhando rumo a um objetivo sem nada mais verem ao seu redor, deixando de semear , alimentando-se de glória efêmeras, para, ao fim, colherem apenas o vazio e a desilusão.

Semeemos enquanto caminhamos; sejamos generosos de amor, de sorrisos, de compreensão.

De pequeninos atos é feita a vida. Deus não espera de nós que conquistamos o mundo, mas espera que conquistamos corações, que alegremos a vida dos sofredores, que ajude-nos a erguer os caídos.

Não foi entre grandes sábios que Cristo buscou seus discípulos. Buscou-os entre gente simples, cunha retoques só estava no coração, na alma que floresceria com os seus ensinamentos.

A glória do mundo é efêmera e traz o gosto do vazio e da desilusão. A conquista do reino espiritual nos dá a paz, a alegria imorredoura, a certeza de que jamais estaremos sós.

Façamos a nossa escolha, portanto, buscando para começo o equilíbrio, o comedimento das emoções e a fé inabalável de que o Cristo é por nós, agora e sempre.

Scheilla, A Mensagem do Dia, psicografado por Sônia Maria de Almeida.

Novidades

Caminhando com Jesus divulga programação

O projeto Caminhando com Jesus, tem como objetivo primário fazer a criança se identificar positivamente com Jesus. Sua emanação alegre, compromissada com Deus e com o semelhante na vivência do respeito, da fraternidade e da compreensão. Os temas trabalhados no projeto são orientados pela mentora Sandra Alencar. Conheça agora a programação para este segundo semestre de 2024.

Palestra Justiça Divina nas obras de Maria Modesto Claro

Em sequência da série de palestras Justiça Divina, no dia 20 de agosto, terça-feira, Luiz Armando apresentará o tema na visão da autora espiritual Maria Modesto Cravo. Iniciando às 20h30, com uma hora de duração, a palestra é rica em informações sobre os mecanismos de que as leis divinas se utilizam para levar cada espírito imortal ao equilíbrio e à luz. Não há necessidade de inscrição prévia.

Vivendo o espiritismo

Despertando a Mediunidade

Será que sou médium?

Certamente! Segundo nos revela Allan Kardec, em O Livro dos Médiuns, Segunda Parte, Capítulo XIV, item 159, todos somos médiuns, em maior ou menor intensidade. Costumamos nos referir a médiuns como aqueles em que os efeitos são mais patentes, mas todos nós somos médiuns. Você sabia que grande parte dos nossos pensamentos não são originariamente nossos, mas captados do Universo?

Então, que influência recebo de outros Espíritos (encarnados ou não)?

Em O Livro dos Espíritos, Questão 459, Allan Kardec pergunta aos Espíritos Superiores: “Os Espíritos influem em nossos pensamentos e em nossos atos?”. E eles respondem: “Muito mais do que imaginais, pois frequentemente são eles que vos dirigem.”

Se é assim, como fica o nosso livre-arbítrio?

Justamente em escolher que tipo de Espíritos irá nos influenciar! Eis aí a grande questão. Atraímos para o nosso convívio os Espíritos que se afinizam conosco, que pensam, falam, sentem e agem mais ou menos como nós. Se quisermos ser influenciados pelos Bons Espíritos, temos então que pensar e nos comportar buscando ser como eles.

O que muda quando minha mediunidade está despertando?

Primeiro, sinta-se abençoado(a), pois a mediunidade nos foi dada a cada um para o desenvolvimento do nosso Espírito. Se sua mediunidade está se ampliando isto significa um convite ao seu progresso. Não deixe passar estas oportunidade. Na prática, sua sensibilidade aos pensamentos alheios está aumentando, e se você não educar a mediunidade, aprendendo a identificar e a controlar o processo, possivelmente terá dificuldades em manter o equilíbrio emocional e psíquico.

E como aprendo a ter mais controle sobre este processo?

De duas formas: buscando conhecer o processo, educando-se, e, em paralelo, aprendendo a harmonizar-se e a vigiar seus pensamentos. Lembra de Jesus nos recomendando o “orai e vigiai”? De um ponto de vista prático, o que me recomendam? Como comentamos anteriormente, é importante que você se eduque, ao mesmo tempo em que cria novos hábitos que irão permitir-lhe perceber e controlar o processo de sintonia. As recomendações serão apresentadas em nível crescente de profundidade e impacto, cabendo a você decidir até que ponto chegar.

EDUCAR-SE

  • Leitura rápida: “Você e os espíritos”, de Wilson Garcia. Entenda a mediunidade no dia a dia.
  • Inscrever-se numa das Ações Doutrinárias oferecidas pelo GOAC, de preferência “Pensamento e Vontade”.
  • Caso recomendado por um dos Mentores Espirituais do GOAC, inscrever-se na Escola de Médiuns (duração de 2 anos e aulas às segundas-feiras às 20:30; consultar programação.

HARMONIZAR-SE

  • Exercícios constantes de Vigilância e Oração.
  • Harmonização diária: leitura de um curto texto edificante ao acordar e, se possível também, antes de dormir. Capítulos dos livros da Coleção Fonte Viva, Resposta da Vida etc.
  • Participar semanalmente de um Evangelho. E se puder fazer também o Evangelho no Lar, melhor ainda (solicitar instruções).

Aniversariantes de agosto

Classificados

Acupuntura em domicílio

Fernando Yonezawa (marido da Carol das segundas). Tratamento de dor, ansiedade, depressão, estresse etc. WhatsApp: 11 98309-9197.

Consultoria em autorrelacionamento e autocomunicação

Marcus Guarnier (cooperador aos domingos). Precisando conversar? Organizar pensamentos? Serenar emoções? Posso ajudar. Bastante. www.marcusguarnier.com.br

Farmácia de manipulação

João Lobo (cooperador às 5as. feiras). Casa das Fórmulas. www.casadasformulas.com.br WhatsApp 11 97065-7667

Goiabinhas Mama Thereza

Thereza de Medeiros (cooperadora aos domingos). Deliciosas goiabinhas artesanais direto da cozinha da mãe Thereza. WhatsApp: 11 98107-9123.

Solidariedade

Nossa agenda

Fluidoterapia

Evangelho

Financeiro

Nossas reservas

As reservas incluem a arrecadação da campanha e do Bazar para S.O.S. Rio Grande do Sul, cujo repasse ao destino está sendo realizado em julho/24.

Resumo por área

Manutenção da casa

No mês de junho, estão alocados em Aluguel o pagamento do IRRF sobre os valores de alugueis de 2023.

Obras sociais

Errata – Em comunicado no mês de junho, havíamos informado que o Bazar realizado em benefício das vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul arrecadou R$ 34.960,01. Entretanto, devido a uma falha na totalização, foram somados dois extratos da mesma maquininha impressos em horários diferentes do mesmo dia, ou seja, em duplicidade. O valor correto da arrecadação feita pelo Bazar é de R$ 27.638,30.

Núcleo Cultural

Cantinho do Aconchego

O reembolso dos alimentos e bebidas comprados em junho para serem vendidos no Cantinho do Aconchego só foi realizado em julho/24.